Identidade dupla?

A Igreja é algo que até hoje me fascina. É como um submundo, uma cidade que existe dentro de uma estrutura sem que todos saibam. Pessoas que fora da Igreja são normais, com seus empregos e família, dentro dela se tornam pastores e líderes. Pessoas que não falam muito em público, se tornam verdadeiros pregadores.

O líder de jovens da minha Igreja por exemplo, trabalha como agente de vendas da VIVO durante o dia e a noite pastoreia jovens e organiza os eventos e redes. Seria uma identidade secreta, se ela fosse secreta, mas não é.

A líder de adolescentes, trabalha liderando centenas de homens numa filial da Votorantin de dia e a noite passa horas organizando Encontros, Escola Dominicais... A líder do Diga ao Mundo passa o dia como advogada e nas horas vagas assume a identidade de Mighty Dê para solucionar vários problemas... É uma longa lista que sem dúvidas também existe na sua Igreja.

Teríamos nós, cristãos, uma dupla identidade? Seríamos durante o dia pessoas que passam desapercebido, mas que na Igreja são referenciais?

Existe ouro dentro da Igreja! Existem centenas de jovens com um potencial imensurável que parecem encontrar na Igreja um habitat que viabiliza os seus sonhos. O motivo? Eu acho que talvez seja o fato de podermos começar tudo de novo dentro da Igreja.

Você se torna cristão e o seu (terrível) passado é apagado. Você começa a conviver com pessoas que não sabem nada sobre você e com isso ganha a chance de se mostrar uma pessoa diferente, de mostrar que você ainda pode ser quem sonhou, mesmo que não tenha sido essa pessoa nos últimos anos.

É como um submundo, uma cidade que existe dentro de uma estrutura sem que todos saibam. E o que acontece ali é extraordinário! Uma segunda chance é dada e um novo homem nasce.

Sem dúvidas que a Igreja é algo que até hoje me fascina.

1 comentarios:

Silvio disse...

interessante esse ponto de vista! Já pensei sobre isso algumas vezes, e realmente é fantástico saber que o homem pode e deve ter uma segunda chance, uma nova oportunidade de recomeçar.