As pessoas não precisam de evangelismo


Ontem, enquanto voltava pra casa do ensaio do teatro, eu me lembrei de um jovem do meu bairro de 24 anos, que perdeu o pai no sábado passado. Eu nunca conversei com ele de verdade, mas passei 4 anos estudando na mesma escola que ele.

Sabe, pensando nisso me veio uma série de perguntas na minha mente: Por que sair pelas ruas entregando jornais e revistas sobre Jesus? Por que sair batendo de casa em casa oferecendo um estudo Bíblico? As pessoas não precisam e nem querem isso! O que elas precisam de verdade é de RELACIONAMENTO!

Quantos cristãos já ofereceram Jesus para ele?
Mas quantos cristãos se preocuparam em criar um relacionamento?

As pessoas estão cansadas de palavras correndo pelo vento, de convites para assistir um culto... Elas precisam de se relacionar, de confiar em alguém, de um abraço... E isso é algo que infelizmente não temos oferecido como Igreja. Pelo menos não da maneira que deveríamos.

PS: O Thiago anda falando bastante sobre isso...

3 comentarios:

elianderson disse...

mas será mesmo que uma coisa
anula a outra? não toh falando
do evangelismo de folheto, mas
do evangelismo de diálogo, do
evangelismo de estratégias bem
feitas, que aproveitam bem as
situações/oportunidades pra falar
do amor de Deus. acho que o que
nos falta são formas eficientes
de se fazer evangelismo.

Thiago Bomfim disse...

Acho que o assunto rende...
No meu blog deixei um zilhão de interpretações abertas.Afirmo que não se trata apenas de ceticismo quanto a ALGUNS métodos tradicioanis. É mais uma valorização pelos relacionamentos, pelas pessoas se preocupando de forma verdadeira com as outras que qualquer outra coisa.

Abs

Bia disse...

Olha moço, depende mesmo da igreja. Eu fui lá ler o que o Thiago anda escrevendo sobre isso... As igrejas G12/M12 desenvolvem sim um relacionamento, para aprofundar laços de amizade e confiança, não necessariamente para evangelizar até porque também estendemos os laços com os quer já servem a Deus. O comum nas igrejas é não desenvolver esse relacionamento pessoal, não ter o amor ao próximo, a comunhão com os que carecem de Deus. É urgente mesmo ultrapassar esse paradigma para que não continuem a morrer vidas sem ter sido alcançado pela graça de Deus.